19.8.16

Guilty Pleasure

Quer se admita ou não todos nós temos um guilty pleasure e eu tenho vários. Neste preciso momento consigo lembrar-me de dois: um na área da literatura e outro na área da música. O primeiro deve-se ao espaço cativo que os livros do Nicholas Sparks sempre tiveram e continuam a ter no meu coração. Se o acho o melhor escritor do mundo? Não. Se acho que os seus livros são formidáveis? Também não, mas se ando numa altura de ler clichés românticos podem ter a certeza que é nos livros dele que vou pegar em primeiro lugar! E se o meu guilty pleasure literário não me causa grande vergonha o da música já não é bem assim... 

Imaginem uma pessoa que não suporta ir a discotecas porque detesta aquele tipo de música; que só de ouvir músicas do Calvin Harris e assim revira quase que imediatamente os olhos, mas que na hora de fazer exercício só consegue fazer um treino intenso a ouvir o quê? Exacto... Calvin Harris e outras músicas do mesmo género cheias de pumpumpum.  

Juro que há alturas em que não me entendo. Vocês também têm algum guilty pleasure que vos envergonhe mesmo à grande? 

10.8.16

Olá, Mundo!



Considero que há alturas na vida em que o melhor a fazer é não insistir e simplesmente parar, descansar, (re)pensar, (re)considerar e simplesmente respirar e viver cada momento da nossa vida sem estarmos focados em coisas que na altura nos parecem desnecessárias. Já alguma vez viveram tempos em que tinham tanto e tão pouco a dizer e a partilhar com o resto do mundo? Aqueles que já com certeza que compreendem a minha ausência; os que nunca passaram por isso talvez nunca venham a compreender.  

Dois meses passaram desde a última vez que aqui vim, no entanto nunca deixei de aqui estar. Nunca foi minha intenção simplesmente desaparecer e deixar de escrever para todo o sempre num sítio que é tão meu e onde partilhei tantos momentos da minha vida. Apenas quis fazer uma pausa e estes dois meses foram isso mesmo: uma pausa para viver comigo mesma e com os que me rodeiam sem o ruído das redes sociais e do blogue. Um silêncio que pensei que duraria um par de semanas, mas que afinal durou dois meses... A verdade é que não me arrependo nem me sinto minimamente culpada. 

Ao longo de todo este tempo muita coisa boa aconteceu: os meus pais vieram visitar-me e já voltaram para Portugal; eu já fui passar duas semanas a Portugal onde tive a oportunidade de assistir ao concerto de uma das minhas bandas preferidas (Iron Maiden) e onde passei dias fantásticos nos meus locais preferidos e na companhia de quem me aquece o coração. Também já acrescentei mais um ano de vida e pela primeira vez passei esse dia única e exclusivamente com o meu namorado e a viajar por um país que sempre quis conhecer e onde quero muito um dia voltar: Irlanda. Também aconteceram coisas menos boas como um sonho que estava prestes a tornar-se real, mas que teve de ser adiado, a saída do Reino Unido da União Europeia; marchas conduzidas por nacionalistas e marchas anti-Islão na cidade onde me encontro a viver, mas disso não me apetece falar.