28.2.16

Pessoal | Três coisas que aprendi desde que passei a viver em Inglaterra



Quando estava a viver em Portugal existiam pelo menos três coisas que costumava fazer com alguma regularidade, mas que na verdade não eram feitas por mim. Quando me mudei para Inglaterra rapidamente percebi que teria de fazer das duas uma: ou estava disposta a pagar uma quantia gigante por algo que em Portugal nem metade daquele valor me era cobrado ou aprendia a fazer as coisas por mim. A avaliar pelo titulo fica fácil saber qual destas duas hipóteses escolhi, certo? 

1. Depilação a cera: conheço pessoas que sempre a fizeram sozinhas ou com alguma ajuda, mas eu enquanto vivi em Portugal sempre fui à esteticista e aqueles quarenta minutos sabiam-me pela vida (sim, sou daquelas pessoas que não sente dor quase nenhuma). Eram quarenta minutos cheios de coisas positivas: a maior parte daquele tempo era passado a rir, saía de lá mais leve e com a pele super macia e no final só tinha de deixar 12€. Quando me mudei para aqui pensei eu, na minha inocência, que depois de encontrar um local onde fizessem depilações iria continuar a fazer isso com a regularidade necessária, mas a verdade é que quando dei de caras com a tabela de preços que rondavam as 40£ (mais coisa menos coisa) mudei de ideias em três tempos. No inicio é um quebra cabeças porque ou não puxas a banda com a força necessária com medo que vá doer e depois os pêlos continuam lá e tens de repetir o processo umas quantas vezes ou então consegues fazer tudo direitinho na parte da frente, mas depois descobres que dava jeito ter uma cintura rotativa como as Barbies para conseguires fazer igualmente bem na parte de trás da perna. Contudo, com o passar do tempo e com tanta tentativa e erro acabas por desenvolver manobras dignas de um número de circo que te deixam capacitada de obter uma pele suave e livre de pêlos. Não em quarenta minutos, mas talvez numa hora e alguns minutos. Escusado será dizer que sempre que vou a Portugal aproveito sempre para ir visitar a minha esteticista preferida, certo?

2. Pintar o cabelo: sou loira por natureza e ruiva por opção. Cabelos loiros e olhos azuis combinam bem, mas acho que não só os meus olhos azuis como também a minha personalidade combinam ainda melhor com o meu cabelo ruivo escuro (não aquele ruivo cenoura). Pinto o cabelo há 3 anos, mas sempre o fiz no cabeleireiro. No entanto, quando me mudei para Terras de Nossa Majestade e vi a tabela de preços dos cabeleireiros fugi logo a sete a pés. Se uma mera depilação custa cerca de 40£ deixo à vossa imaginação os preços de cabeleireiro. O corte é daquelas coisas que consegue aguentar durante alguns meses, mas a tinta é uma história completamente diferente. Sempre achei que o meu cabelo demorava imenso a crescer, mas desde que vivo aqui em Inglaterra que o meu cabelo parece crescer à  velocidade da luz. Claro que estou a exagerar, mas que cresce rápido lá isso cresce e com o crescimento as raízes vão dando o ar da sua graça e chega a um ponto que é simplesmente vergonhoso andar com o cabelo nesse estado. Depois de ver uns quantos vídeos no youtube de pessoas a explicar como pintam o seu cabelo em casa lá acabei por ganhar coragem e fazer o mesmo. A primeira vez foi verdadeiramente dramática. Julgo ter demorado mais de uma hora. Andei ali a pintar secção a secção com todo o cuidado do mundo e mais algum, mas no final não ficou perfeito, mas também não ficou mal de todo. Não desisti e continuei a fazê-lo e foi ficando cada vez melhor! Neste momento está mesmo perfeito.

3. Pedicure: se fazer a manicure a mim própria nunca foi um problema da pedicure já não se posso dizer a mesma coisa. Sempre me aborreceu ter de fazer a pedicure a mim mesma, mas desde que me mudei para aqui também comecei a fazê-la a mim própria. Não é algo que faça todos os meses, pelo menos não nos meses de Inverno, mas no Verão é daquelas coisas que preciso de fazer com alguma regularidade (há lá coisa pior do que ver aqueles calcanhares cheios de pele seca numas sandálias?). Mais uma vez optei por começar a ser eu a fazê-la por uma questão de preço e porque consigo encontrar os produtos necessários a um preço bastante jeitoso e apesar de continuar a achar que é uma tarefa aborrecida é algo que já consigo fazer bastante bem.


16 comentários :

  1. Não pinto o cabelo, mas as outras duas coisas por acaso já faço a mim mesma, precisamente porque sinto que compensa imenso a nível de preço. Punha-me a fazer a conta ao dinheiro que gastaria com unhas, sobrancelhas, buço, etc e só me imaginar a quantia no final do mês perdia logo a vontade de sair de casa.

    ResponderEliminar
  2. Eu felizmente vou a Portugal praticamente todos os meses, portanto, à excepção da manicure/pedicure, pude manter as idas ao cabeleireiro como sempre foram. Quanto à depilação, eu fiz, já há muito tempo, fotodepilação, portanto para as manutenções também as consigo fazer sem problema (=

    ResponderEliminar
  3. Destes três pontos, o que poderá a vir ser um problema é mesmo o segundo. Apesar de ainda não ter cabelo pintado, é algo que gostaria de fazer e se os preços são assim caros, acho que vou ter que pensar duas vezes antes de me iniciar nessa aventura. Quanto aos outros dois, sempre foi algo que fiz a mim mesma, por isso não é problema.

    ResponderEliminar
  4. Como não faço nenhuma destas três actividades, não posso falar por experiência, mas não significa que não compreenda os teus problemas. Imagino que de todos, o pior acabe por ser a depilação mas, ao menos não sentes dor, menos mal! Quanto ao cabelo, a minha mãe começou a pintá-lo em casa há uns bons aninhos atrás e, apesar de ser uma tarefa cansativa, não parece ser muito complicado. Se formos a ver bem, os preços das esteticistas cá em Portugal até deviam ser um pouco mais altos (pelo menos mais do que €12 por 40min), tendo em conta o trabalho e coisas que têm que ver (digo eu), mas claro que para o nosso bolso a conversa é outra haha.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  5. Aqui em Toronto os preços do cabeleiro e depilação também são absurdos! Desde que aqui estou que sou sempre eu que corto o meu cabelo, e a depilação também faço sempre em casa.

    ResponderEliminar
  6. Acho que mesmo se fosse rica nunca deixaria de fazer certas coisas sozinha. A depilação e as unhas são coisas que gosto mesmo de ser eu a fazer e incluir na minha rotina diária sem perder tempo extra com elas. A depilação, por exemplo, faço uma vez por semana antes do duche: passo o creme Veet nas pernas, espero os cinco minutos e retiro no duche. Antes fazia-me confusão quando alguma amiga me dizia que não podia ir à praia porque não tinha a depilação feita, quando é uma coisa que eu despacho em dez minutos... mas depois percebi que sou uma menina que quase não tem pêlos :P

    ResponderEliminar
  7. Lá está, três coisas ue também não faço nem sei se conseguiria!

    ResponderEliminar
  8. Por acaso só faço a 3, pois na primeira sou alérgica à cera, e enquanto à segunda não pinto o cabelo.

    ResponderEliminar
  9. Pintar cabelo não pinto mas a depilação vou fazendo por mim!

    ResponderEliminar
  10. Só fui uma vez à esteticista, e foi para o meu baile de Finalistas porque não queria estar com o trabalho. Foi um miminho de mim para mim, e merecido! De resto sempre fui eu a fazer, e continua a ser assim. Depois de nos habituarmos às tais manobras dignas de um show no circo, tudo descomplica.
    E nunca pintei o cabelo!

    Resp.: Eu acho que os funcionários deixam entrar crianças porque estas estão acompanhadas por um adulto. Mas acho isso ridículo na mesma...

    ResponderEliminar
  11. Detesto fazer a depilação com cera a mim mesma. Até comprei tudo e ainda fui fazendo umas 4 ou 5 vezes mas depressa desisti. Que se lixe, vai à lâmina mesmo. Não estou para estar com aquele trabalho, ter sempre alguém a ajudar-me ou ficar tudo mal atrás, as dores, aquela porcaria da cera toda colada em mim...sempre detestei a sensação.

    O cabelo comecei por pintar em casa, mas agora vou ao cabeleireiro. Por 12 euros por mês, não é isso que me torna mais pobre e é o único "luxo" que me concedo. Manicure e pedicure faço eu, se bem que este ano queria mesmo começar a fazer pedicure num sítio a sério ou aprender a afzer em condições, já preciso mesmo!

    ResponderEliminar
  12. São coisas que nos apercebemos que podem ser feitas por nós quando temos necessidade. Mas pode ser descoberto um verdadeiro prazer depois. Adoro fazer as minhas unhas e só foi a uma profissional para arranjar as cutículas de vez em quando. O cabelo também o pinto em casa porque a minha prima, cabeleireira, ensinou-me tudo o quer preciso e quais os materiais certos.

    ResponderEliminar
  13. é verdade! nos países em que não há o hábito de ir à praia, as esteticistas não são nada boas! usam não sei quantas bandas para um só espaço, arrancam mal, demoram tempo e ainda cobram imenso! o melhor é fazer-se laser e depois nunca mais ter de ser mal tratada nesses sítios

    beijinho,
    Moi—byInês

    ResponderEliminar
  14. Também já deixei de ir à esteticista e faço essas coisas em cada excepto pedicure. Não tenho jeito nem paciência. X)

    ResponderEliminar
  15. Quanto à depilação, podes sempre pedir ao teu namorado para te ajudar. Assim não demoras uma hora :)
    Eu cá acho que teria de arranjar outra solução porque não consigo fazer isso a mim mesma.

    ResponderEliminar
  16. Pois, eu admito que já faço essas coisas em casa e vivo em Portugal. Nunca gostei de fazer a depilação fora de casa e experimentei umas vezes para desistir quase de seguida. Parece que custa muito mais se não for eu a fazer e a ideia de ter de marcar com antecedência para sofrer imenso na maca é horrível xD A única coisa que nunca fica tão bem feito em casa é o cabelo, pintar o cabelo em casa é possível, mas parece que nunca fica tão bem. Mas como só de vez em quando o faço, não tenho grandes gastos x)

    ResponderEliminar