30.8.15

Olá Mundo!


A quantidade de dias que passamos em Portugal pouco interessam porque a verdade é só e apenas uma: irão saber sempre a pouco, muito pouco. O que nos vale é a certeza de termos aproveitado ao máximo todo esse pouco tempo, pois é isso que nos aquece o coração assim que aterramos em terras de nossa Majestade e levamos com a primeira de muitas rajadas de vento na cara. 

19.8.15

16.8.15

Alimentação | Nova paixão




Esta semana pela primeira vez experimentei as famosas bolachas de arroz integral. Todos aqueles que conheço e que já as experimentaram dizem que estas bolachas não sabem a nada, mas a mim sabem-me a pipocas. Sendo ricas em fibra e baixas em calorias a mim parecem-me uma excelente opção para lanches mais saudáveis e para colocar de lado as bolachas maria! Vocês já as provaram?

10.8.15

Pessoal | O que tenho andado a fazer



Já fui a Espinho ver o mar e já fiz a minha primeira visita à praia. Também apanhei o meu primeiro mini escaldão apesar de me ter fartado de besuntar com protector solar factor 30. Ainda não me banhei nas águas do Atlântico que a água tem estado gelada. Já joguei raquetes na praia. Já comi lulas grelhadas no jardim. Ainda não fui passear pelo meu Porto, nem fui passear a outras cidades do nosso Portugal, mas cada coisa a seu tempo que ainda me restam duas semanas por terras lusas. Quanto à minha festa de aniversário tudo correu bem e foi tudo espectacular e divertido como se queria. Quanto a vocês muito obrigada, do fundo do coração, por me terem desejado um feliz aniversário. Vocês são mesmo espectaculares! 

5.8.15

Pessoal | Hoje é o meu dia!

A 5 de Agosto de 1989 nasceu uma menina que um dia viria a ser conhecida como Raspberry. Nasceu num ano de seca e acredita que é por isso que consegue tolerar bem altas temperaturas. Sim, às vezes parece mesmo que tem um parafuso a menos, mas todos padecemos desse mal, não é verdade? Temo que sim.

Hoje é o meu dia. E de umas outras quantas pessoas que nasceram no mesmo dia do que eu. O melhor presente de aniversário já recebi. Estou em casa e ao meu lado está a Julieta que ainda não me largou desde que aqui cheguei. Não importa o tempo que nos deixemos de nos ver, as minhas gatas lembrar-se-ão sempre de mim. Agora se me dão licença vou ali preparar tudo para a grande festa de logo à noite. A minha. 


3.8.15

Livros | Oh Dear Silvia

Oh Dear Silvia de Dawn French conta a estória de Silvia que caiu da sua varanda e encontra-se em coma. Ao longo dos trinta e nove capítulos vamos ficando a saber quem era  Silvia através de seis personagens que a vão visitando: Ed (ex-marido), Jo (a irmã excêntrica), Cassie (a filha), Tia (a sua empregada doméstica), Cat (melhor amiga de Silvia) e Winnie (a enfermeira) e acabamos por concluir o óbvio: cada uma destas personagens tem uma visão distinta daquilo que a Silvia é como pessoa sendo que esta visão é altamente influenciável pelo tipo de relação que cada uma das personagens mantém com Silvia. Fria, incapaz de amar e sendo uma pessoa que fazia o que bem entendia sem se importar de que forma isso afectaria os outros - assim nos é apresentada Silvia. Pelo menos é dessa formas que todos a descrevem à excepção de Cat que sabe quais os segredos que Silvia esconde e o que a levou a tomar decisões que afectaram para sempre a sua relação com a sua própria família. 

Este é aquele típico livro que facilmente se insere na categoria "leitura de verão", ou por outras palavras "o livro ideal para se ler enquanto se está a apanhar sol na praia e não se tem nada melhor nem para fazer nem para ler". Não é nem um livro fantástico tampouco hilariante como prometiam os comentários encontrados na contracapa. A verdade é que para além de não ter conseguido simpatizar com a estória também não consegui sentir empatia com nenhuma das personagens. A razão principal para que isso tivesse acontecido é simples: apesar de haver partes caricatas como quando a Jo decidiu invocar uma serie de espíritos para que estes ajudassem a sua irmã a sair do estado de coma a verdade é que houve outras em que achei muito pouco credíveis. Já para não falar das partes extremamente aborrecidas protagonizadas por Ed que se limitava a falar de árvores e dos vários tipos de madeira. A sério, quem é que quer saber disso?

A parte positiva é que não gastei um cêntimo (ou um penny para sermos mais exactos) neste livro. Façam um favor a vocês mesmos e não percam tempo nem dinheiro com este livro. Que desilusão, mas enfim... É um risco que todos aqueles que gostam de ler correm. 






Autor: Dawn French
Nome do livro: Oh Dear Silvia
Número de Páginas: 343
A minha classificação: 

2.8.15

Pessoal | 26 coisas que não mudaram na criança que eu era e na adulta em que me tornei



1. Os girassóis, as margaridas e gerberas continuam a ser as minhas flores preferidas.
2. Quando era pequena os meus pais evitavam passar pelos vendedores de balões porque já sabiam que teriam de me dar um. Com quase 26 anos ainda sou completamente maluca por balões. Adoro-os!
3. Nos meus quase 26 anos continuo tão trapalhona e desastrada como era quando tinha 4 anos. 
4. Continuo a não ver grande diferença entre "plantar" e "semear" apesar de a minha mãe insistir que são coisas completamente diferentes. 
5. Sempre tive um medo descontrolado de abelhas e tal como fazia quando tinha 4 anos ainda hoje faço figuras tristes no meio da rua se me cruzar com uma abelha. 
6. Continuo a adorar geleia caseira. 
7. Continuo a mesma refilona de sempre. 
8. O verão continua a ser a minha estação do ano preferida. 
9. O algodão doce continua a ser a melhor coisa de sempre no que toca a doces.
10. Mas continuo a não apreciar o facto de o algodão doce me deixar com as mãos todas pegajosas. 
11. Continuo a achar imensa piada às músicas do Quim Barreiros, mas agora ainda acho mais porque percebo as partes mais badalhocas.
12. Entre vestidos e calças prefiro os vestidos. 
13. Os meus nomes preferidos para menina continuam a ser Maria e Margarida.
14. Ainda gosto de comprar e de pintar os livros de colorir.
15. Gatos e coelhos continuam a ser os meus animais preferidos. 
16. O vermelho e o azul ainda são as minhas cores preferidas. 
17. Passear à beira mar continua a ser a melhor coisa de sempre. 
18. Ainda gosto de me deitar na cama dos meus pais e ficar ali durante um bocadinho no meio dos dois a falar. 
19. O cheiro daquelas carnes esquisitas de Porco enquanto estão a ser cozinhadas (vocês sabem quais são) continua a ser o pior cheiro do mundo. 
20. Fico toda feliz quando vejo borboletas.
21. Ainda adoro andar de baloiço. 
22. As navegantes da lua, o shin chan e o dragon ball continuam a ser os meus desenhos animados preferidos. 
23. Continuo a não achar piadinha nenhuma a peixe.
24. Ainda gosto de comer a papa de fruta que a minha mãe me fazia quando era pequenita. 
25. Continuo a ter medo do escuro. (Aquele mesmo escuro, escuro... tão escuro em que não se vê mesmo nada, sabem?)
26. Quando era pequena era muito teimosa. Ainda sou e provavelmente sempre serei.