14.10.15

Viagens | Raspberry na Suécia [nem o frio me pára: as corridas continuam]



Depois de ter (re)começado a correr há pouco mais do que um mês não podia parar só porque vinha passar um mês na Suécia, não acham? Aproveitando o facto de me encontrar a "viver" numa cidade super calma no sul da Suécia com pouquíssimo trânsito e com muitas ruas pedonais claro que tive de arranjar espaço na minha mala para trazer algum equipamento desportivo. 

Quem me recebeu em terras Suecas estava capaz de apostar que eu nunca sairia de casa para correr devido ao frio. O meu namorado pensou exactamente o mesmo. Também eu pensei e por isso só trouxe dois conjuntos não fosse andar a encher a mala com roupa de desporto para nada, mas a verdade é que tenho tido sempre vontade de sair para correr e agora estou ligeiramente arrependida por não ter trazido um terceiro conjunto. Enfim, pormenores. 

A verdade é que tem estado bastante frio. Aquele frio que parece que nos entra pela roupa para depois penetrar na nossa pele e congelar-nos os ossos. Pois, estamos na Suécia e isto para eles é um Outono ameno enquanto que para mim já parece Inverno. Contudo, a preguiça não tem tomado conta de mim e acredito que tal se deva ao facto de acordar sempre com um sol maravilhoso que me puxa lá para fora e a não querer ficar nem mais um segundo fechada em casa. 

Hoje foi a segunda vez que saí para correr. Na primeira vez a coisa correu muito mal e só aguentei correr durante 10 minutos. Confesso que fiquei desiludida já que conseguia correr uns bons 35 minutos em terras de nossa Majestade (a Inglesa para o caso de haver dúvidas de qual delas estou a falar), mas depois lá me recompus. É perfeitamente normal isto acontecer: primeiro porque raramente corro na rua, mas sim na passadeira do ginásio e depois o ar frio não ajuda na respiração porque chega-se a uma certa altura em que começa a doer ao respirar. Portanto, não deixei que esses 10 minutos me afectassem em demasia e decidi fazer mais 30 minutos de exercício em casa. Hoje enchi-me de coragem e lá fui eu outra vez correr. Desta vez já conhecia melhor o trajecto a percorrer - o que fez com que eu ficasse mais descontraída e que apreciasse mais o "passeio" - e desta vez já consegui correr durante 20 minutos! Mais 10 minutos do que a última vez e é exactamente isto que me motiva a continuar e a não parar. É difícil? Muito! Se sinto vontade de parar? Sim, logo ao fim do primeiro minuto de corrida é o que mais desejo. O que me faz continuar? O sentimento com que fico no final. A satisfação de ver que aos poucos vou conseguindo um bocadinho mais. 

Tudo está na nossa cabeça. Se acreditarmos que somos capazes de fazê-lo, então seremos mesmo capazes de fazê-lo. 

Posto isto decidi que quando voltar para Inglaterra vou continuar a correr pela rua. Agora já ninguém me pára! 

3 comentários :

  1. Olá!
    Comecei a praticar bicicleta à cerca de um mês. Faço todos os dias em casa, depois do trabalho. Se inicialmente pedalava 10 minutos e já me sentia cansada, agora já sou capaz de pedalar 25 a 30 minutos e, concordo plenamente contigo, quando dizes que tudo está na sensação final. Quando chego a casa o que mais quero é descansar mas depois lá penso que não posso perder o ritmo e tenho de ir pedalar. A sensação de todos os dias conseguir fazer um bocadinho mais é muito recompensadora e é o que me faz continuar. Para além disso, quando estou a praticar e depois é como se todas as arrelias do dia a dia tivessem desaparecido. É mesmo caso para dizer que faz bem ao corpo e à mente.

    Boas corridas.

    ResponderEliminar
  2. Ao inicio é mesmo difícil controlar o frio que respiramos mas estás num excelente caminho! :)

    ResponderEliminar
  3. Eu não estou na Suécia e, mesmo assim, já desisti de correr ao ar livre... agora só ginásio. Tenho que ver se me inspiro com o teu exemplo =P

    ResponderEliminar