20.10.15

Livros | My Sister's Keeper







Autor: Jodi Picoult
Nome do livro: My Sister's Keeper
Número de Páginas: 432
A minha classificação: 


Para a minha estadia de um mês na Suécia trouxe comigo dois livros e deixei o terceiro e último livro da trilogia "O Século" de Ken Follett em casa e que só poderei terminar algures em Novembro. Numa semana acabei um dos dois livros que viajaram comigo e durante alguns dias não soube ao certo o que escrever acerca dele. My sister's Keeper de Jodi Picoult (Para a minha irmã na versão Portuguesa) aborda temas complexos e difíceis de digerir.

Quando começamos a ler este livro percebemos imediatamente que a história deste vai girar à volta da família Fitzgerald e nos altos e baixos que esta família tem vindo a enfrentar ao longo de vários anos. Sara e Brian viviam um casamento feliz e tranquilo na companhia dos seus dois filhos Jesse e Kate, mas tudo mudou quando Kate fez dois anos e lhe foi diagnosticado um tipo raro de leucemia e que muito provavelmente lhe iria causar uma morte prematura.

Kate precisa rapidamente de um dador, mas uma vez que nem os seus pais nem o seu irmão Jesse são compatíveis Brian e Sara decidem ter um terceiro filho (Anna) que ao ser geneticamente seleccionado fará de Anna uma dadora perfeitamente compatível e que poderá salvar a vida de Kate. Desde o seu nascimento que Anna fez diversas doações que a obrigaram a passar por uma série de tratamentos evasivos e por vezes dolorosos. Depois de ter doado medula óssea, glóbulos brancos e mais umas quantas coisas desta vez Kate precisa que Anna lhe doe um rim. É precisamente aqui que a história ganha um contorno totalmente novo.

Anna cansada de ser obrigada a fazer tantas doações ao longo dos seus 13 anos decide instaurar com a ajuda de Jesse um processo legal contra os seus pais de forma a ganhar a sua emancipação médica, isto é, Anna quer ter o direito de decidir se quer ou não doar o que quer que seja à sua irmã. E é precisamente por isto que eu digo que este livro aborda temas difíceis e complexos. Num primeiro plano a decisão de Anna pode parecer-nos egoísta porque damos por nós a pensar que tipo de pessoa é esta que não está disposta a fazer tudo o que estiver ao seu alcance para ajudar a irmã a escapar da morte prematura, mas depois damos por nós a torcer por ela e para que ela ganhe o processo. Primeiro porque deveria ser uma decisão que deveria partir dela e não dos pais e depois porque fiquei a pensar até que ponto devemos continuar a insistir em prolongar a vida em part-time de alguém. Quando é que deixará de valer a pena continuar a tentar? e como é que uma família consegue ficar unida e funcional perante tudo isto que vai acontecendo?

Trata-se de um livro com questões bastante complexas onde por vezes se torna difícil separar o que é legal do que é ético e foi precisamente isto que me levou a comprar o livro.   

10 comentários :

  1. Li e vi o filme. E chorei muitoooooo!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tentei ver o filme, mas ao fim de meia hora desisti. Não estava a gostar da adaptação :\

      Eliminar
  2. Adorei ler o que escreveste! isto porque esse foi o primeiro livro que li dessa autora, a qual passou a ser a minha favorita. Adoro a forma como ela escreve! Depois desse já li muitos e o meu preferido é o "Frágil".
    Quanto ao final, é engraçado, mas eu adorei o final assim. Não gosto de coisas "obvias" e normais e o final foi mesmo aquilo que mais me cativou :) Quanto ao filme, fui ver e odiei! Está totalmente diferente do livro e foi uma decepção!
    Vou seguir*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já li o Frágil e esse sim fez-me chorar :\ e concordo contigo: a adaptação cinematográfica é mesmo uma nódoa.

      Eliminar
  3. Já li o livro à uns anos e por acaso gostei imenso. Se o lesse agora provavelmente ficaria com uma ideia diferente do livro. Não gostei foi nada da adaptação do filme.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece ser uma opinião geral de quem leu o livro e viu filme. Também não gostei.

      Eliminar
  4. Li o livro há uns anos e adorei, achei o final extremamente inesperado mas até foi isso que me cativou. Por outro lado, vi o filme, estava cheia de expectativas por ter gostado tanto do livro e foi uma desilusão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu também não consegui ver o filme. Comecei a vê-lo, mas detestei o que vi.

      Eliminar
  5. esta autora é qualquer coisa de muito fenomenal :)

    ResponderEliminar