30.9.15

Exercício Físico | Começar a [gostar de] correr

Correr é dos exercícios mais simples que poderemos fazer até porque não temos de estar a fazer mil e uma acrobacias como nas aulas de pilates, yoga nem temos de andar a fazer aquelas flexões horrorosas nem aqueles agachamentos com não sei quanto peso e de posições tão distintas. Afinal de contas correr implica apenas levantar um pé e depois outro. Aliás é como se fôssemos a caminhar, mas mais rápido. Não pode ser assim tão difícil, pois não? Só que pode. Pode e é horrível. Primeiro é a sensação de pés cansados, depois os gémeos que começam a doer e depois aquela dor de burro que surge sabe-se lá porquê e ao fim de dois minutos já desistimos quando na verdade nos tínhamos comprometido a correr uns bons 30 minutos. No final ficamos desiludidos com a nossa prestação e sem saber exactamente o porquê de os outros conseguirem e nós não. Ficamos a fazer um sem número de comparações sem nos apercebermos que começamos com a atitude errada. Correr é dos desportos mais completos: trabalha o corpo todo, perde-se uma quantidade jeitosa de calorias o que faz com que se queime gordura e fiquemos com um corpo mais tonificado e para além de nos ajudar a manter o nosso coração saudável ajuda a libertar todos aqueles pensamentos negativos que fomos acumulando durante aquele dia, semanas ou mesmo meses. No entanto, como começar?



1. O calçado
Antes de começarem a fazer o que quer que seja tenham em conta o calçado. Eu sei que parece parvo e que vão pensar que qualquer par de sapatilhas serve, mas acreditem que não é bem assim. Principalmente se vão correr na estrada. Na hora de escolherem as sapatilhas ideais tenham em conta o conforto e se estas amortecem bem os pés. Acreditem que só com este cuidado vão evitar ter dores indesejáveis nos pés e estarão a cuidar das vossas preciosas articulações. 

2. Devagar se vai ao longe
Se não estão habituados a correr e se não fazem exercício regularmente é normal que não sejam capazes de correr durante meia hora e de fazerem X quilómetros. Eu, por exemplo, fazia exercício físico com regularidade (entre 3 a 4 vezes por semana) e na primeira vez que tentei correr ao fim de dois minutos já me tinha dado o abafo e tive de parar. O porquê? O corpo habitua-se a determinado exercício, mas quando o pomos a fazer algo diferente até ele entranhar estranha durante algum tempo. O truque é não desistir e aos poucos tentar sempre um bocadinho mais. Se não estão habituados a correr não pensem que vão conseguir logo correr durante meia hora. Estabeleçam antes pequenas metas como correr durante cinco minutos e fazer os restantes vinte e cinco a pé num passo acelerado. Se preferirem podem também optar em intercalar corrida-caminhada (um minuto a correr outro a caminhar, dois minutos a correr e um a caminhar, por exemplo) e se não conseguirem correr de todo então simplesmente optem por uma caminhada acelerada nos primeiros tempos e depois aos poucos vão introduzindo a corrida. Lembrem-se: cada minuto é uma vitória pois por cada minuto a mais que consigam correr é sinal que estão a ganhar mais resistência. Por isso, não se preocupem com as distâncias que consigam ou não fazer, preocupem-se antes com o tempo.

3. A respiração
Dizem os entendidos que devemos inspirar pelo nariz e expirar pela boca. Eu inspiro e expiro pela boca - é o meu método e comigo funciona. O outro faz-me ficar muito cansada (não sei porquê), mas acho que isto é daquelas coisas que "façam como muito bem entenderem desde que funcione".  

4. Nunca menosprezar o poder de uma boa playlist
Correr com e sem música são coisas completamente distintas. Se vou correr sem música sei automaticamente que o meu rendimento vai ser muito mais baixo do que aquele que seria se tivesse levado música comigo. O meu namorado gosta de ouvir metal enquanto corre/ faz musculação. Já eu tenho mesmo de ouvir aquelas músicas repetitivas e electrónicas. Neste momento a música que me faz correr a um bom ritmo é esta:



5. O local
Apesar de na maior parte das vezes acabar por correr na passadeira do ginásio por ser mais cómodo (o ginásio fica mais perto do que o parque e porque correr no meio da cidade não dá grande jeito) confesso que correr na rua ou no parque é bem mais motivador. Primeiro porque é menos monótono e depois porque nos conseguimos abstrair mais rapidamente do tempo a que estamos a correr, quantidade de calorias gastas e distância feita do que se estivéssemos a correr na passadeira. 

6. O vosso rendimento nem sempre vai ser o mesmo e não há nada de errado com isso
Preparem-se porque é verdade e outra verdade é que não têm de sentir que falharam pois tal não quer necessariamente dizer que estão regredir. Poderá muito bem querer dizer que o vosso corpo precisa de descansar ou que simplesmente naquele dia não estavam com a energia nem com a disponibilidade mental e física necessária para aquele tipo de exercício. Um dia serão capazes de correr quatro quilómetros em trinta minutos e no outro com o mesmo tempo de corrida poderão correr uma distância menor. Nesses dias lembrem-se que mais vale um exercício de duração curta do que um dia passado no sofá. 

7. O exercício é importante, mas descansar também o é
Assim como todo o tipo de exercício, também não precisam de correr todos os dias. Três dias por semana é óptimo ou então dia sim dia não. É importante exercitarem o corpo, mas também é importante deixa-lo repousar e recuperar pois só assim conseguirão um bom rendimento a longo prazo. 

8. Alimentação
É a última dica, mas nem por isso a menos importante. A alimentação é tão importante quanto o exercício físico. São os alimentos por vocês ingeridos que vos darão energia para correr e tal como a minha avó me dizia "a alimentação está para o nosso corpo como a gasolina está para os automóveis" e se um automóvel também não anda sem gasolina o nosso corpo também não funcionará se não lhe dermos a alimentação certa. Apostem em alimentos não processados, nos legumes e nas frutas e verão que os resultados começarão a surgir.

9 comentários :

  1. Eu fui correr na semana passada e só consegui 3 minutos e depois mais 2 minutos e ia caindo para lado

    ResponderEliminar
  2. Há uns meses atrás enchi-me de coragem e lá comecei a correr. Durou duas semanas (não fui os dias todos). O meu maior problema é a falta de motivação, se não vejo logo resultados fico frustrado e desisto. Felizmente só sou assim no que diz respeito ao desporto, se não estava tramado. Já tinha lido o mesmo sobre a respiração mas tal como tu, é mais fácil fazê-lo pela boca.
    Ando há dias a prometer a mim mesmo que vou voltar, nem que seja a caminhar, veremos!

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  3. Muito Obrigada por este post, estava a precisar dele :P

    ResponderEliminar
  4. Excelentes dicas! É mesmo importante começar devagar e ir progredindo aos poucos. Um objectivo de cada vez para não desmotivar logo no fim da primeira corrida!
    beijinhos
    http://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Força! O mais importante são mesmo as músicas e o incentivo que nos dão

    ResponderEliminar
  6. sou uma nódoa no que respeita ao exercício físico em geral e à corrida em particular. Fico sempre a sentir-me horrivelmnte por não conseguir correr e, aparentemente, toda a gente consegue. Tenho tentado ir por etapas, correr sempre mais um bocadinho do que na vez anterior, mas como parei este mês de Setembro todo, nao está fácil voltar (esta falta de vontade...).

    ResponderEliminar
  7. Esta publicação está excelente! Eu também adoro correr, acho que é tão libertador...
    Beijinho*

    ResponderEliminar