22.4.15

Sociedade | E tu o que mudarias?

Nunca percebi e estou certa de que nunca perceberei o que leva a alguém que se esconde atrás de um ecrã de computador ou de um ecrã de telemóvel a tecer comentários negativos, mesquinhos e, por vezes bastantes maldosos numa foto que encontrou publicada no Instagram ou no Facebook ou noutra rede social qualquer ou num video que encontrou por acaso ou não no youtube. Será para quê? Para se sentir melhor com as suas imperfeições? Para se sentir superior? Para obter atenção? Não sei, mas às vezes pergunto-me se quem o faz terá noção do quanto poderá estar a afectar negativamente a pessoa que publicou quer a foto quer o vídeo, mas passados três segundos chego à conclusão que quem faz este tipo de comentário só se importa consigo mesmo estando-se a borrifar para os sentimentos do outro. Este "estar a borrifar-se para" incomoda-me porque parece existir um esquecimento de que todos nós somos feitos de sentimentos e de inseguranças. Todos nós temos pelo menos uma única coisa que gostaríamos de mudar em nós mesmos se tal nos fosse possível. Eu, por exemplo, neste preciso momento lembro-me de duas coisas que gostaria de mudar em mim: em primeiro lugar gostava de ter mais quinze centímetros de altura e em segundo gostava de ter umas pernas altas e finas. Contudo, se obtivesse estas duas coisas o mais provável seria depois arranjar outras tantas que gostaria de mudar. O motivo é simples: o ser humano nunca está plenamente satisfeito com aquilo que tem.

Para mim não existe O corpo perfeito, há sim, vários corpos perfeitos e o que torna um corpo perfeito é o facto de nos sentirmos bem nele. Poderá não ser o corpo perfeito para o nosso vizinho, mas será certamente o nosso corpo perfeito se gostarmos de nos ver nele e se nos sentirmos bem em "vesti-lo". Não temos de ter todas uma cintura de vespa, nem temos de ter todas um rabo redondo e empinado. O mundo seria tão aborrecido se tivéssemos todos o mesmo tipo de corpo...  

Cansada de ler as várias criticas que eram feitas ao seu corpo por este não ser igual ao de outras pessoas ligadas ao fitness a Cassey Ho publicou um video onde se prova que, por vezes, no silêncio consegue-se dizer tudo. Trata-se de um video forte e que me faz ficar com a lágrima no canto do olho sempre que o vejo.


12 comentários :

  1. Adorei o teu texto...
    Basicamente o que eu queria mudar na sociedade são as estrelinhas do que escreveste: a intolerância à diferença. Somos todos diferentes e são estas diferenças que tornam o mundo tão belo como ele é.
    O que seria de todos se gostássemos do amarelo?

    ResponderEliminar
  2. Adorei o video, realmente mudar para que? Para agradar a quem nos critica?
    O melhor é mesmo aceitarmos como somos, mesmo com todos os defeitos que vemos em nós, porque a verdade é que quem nos ama, ama pelo que somos, e não pelo que gostávamos de ser.

    ResponderEliminar
  3. Eu sofro do mesmo mas pelo oposto: sou magra e quase todos os dias tenho que lidar com olhares e comentários menos agradáveis sobre o facto de ser magrinha. Mas eu não tenho mesmo culpa, o meu metabolismo é terrível e faz desaparecer tudo o que como. Eu gostava de viver num mundo onde não tivesse que ouvir um "És tão magra que faz impressão olhar para ti"
    E o vídeo está mesmo wow. Fez-me lacrimejar

    ResponderEliminar
  4. Eu mudaria as minhas orelhas.. acho-as grandes..
    Mas o mais importante é nós sentirmos bem no nosso corpo.. As pessoas são tão maldosas para se sentirem superiores e para se sentirem bem com elas próprias.. E ás vezes as pessoas que criticam o nosso corpo são aqueles que estão mais próximos de nós como a família.
    R: porque se eu comprar os óculos tenho de os ouvir por ter gasto dinheiro em óculos de sol enquanto ainda tinha uns bons

    ResponderEliminar
  5. A sociedade é mesmo assim, parece que só conseguem sentir-se felizes se inferiorizarem os outros, se lhes retirarem a felicidade que conquistaram por si mesmos... Eu não mudava nada. Já me disseram que tenho o nariz muito grande, que tenho o peito demasiado pequeno, que sou muito baixa... Comecei a sentir-me mal comigo há cerca de um ano, altura em que decidi começar a treinar e até hoje mantenho essa paixão pelo fitness mas sempre o fiz por mim, não por emagrecer mas por tonificar, para gostar mais do que via. Não para mudar o nariz, nem o tamanho do meu peito, nem sequer a minha estatura! Para melhorar, isso sim, pequenos aspectos que por vezes me desmotivavam A MIM (como alguma celulite e uma coxas que abanavam mais do que eu gostaria, por exemplo) e acima de tudo porque estava cansada de fazer mal ao meu corpo comendo constantemente porcarias.

    ResponderEliminar
  6. Tenho acompanhado o que tem acontecido à Casey (sigo a blogilates há anos no youtube), e se há pessoa que tenha passado por body shaming ultimamente, é ela. Para além dos comentários, ainda há pessoas a perder o seu tempo a fazer vídeos a falar dela negativamente. Tudo bem, há dicas que a Casey dá (principalmente sobre nutrição) com as quais não concordo de todo. Mas daí até fazer vídeos a deitá-la a baixo, como tem acontecido, meu deus. Uma coisa é criticar o seu trabalho de maneira construtiva. Outra é dizer que ela está gorda e apontar outros defeitos, dizer que uma pessoa com o corpo dela não devia ser instrutora muito menos fazer vídeos sobre isso. What? Essas pessoas já pensaram que ela pode estar a passar por uma fase menos boa? E que por isso tenha aumentado de peso, ou simplesmente achar que está melhor assim? Claro que a maioria, quando vê alguém com um corpo escultural, quer seguir o que essa pessoa faz na esperança de obter os mesmos resultados. Eu incluo-me nesse grupo. Mas posso dizer, embora agora pratique outras rotinas de exercícios, foi com as rotinas e vídeos dela que me inspirei a fazer alguma coisa. Gostava de ver quantos instrutores são tão motivacionais como ela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente também vi esse vídeo da Freelee the Banana Girl e fiquei incrédula o tempo todo. Acho que o facto de ela ser vegan não lhe dá o direito de criticar a Kaley da maneira que fez.

      (reparei agora que escrevi Casey em vez de Kaley, ahah. Ando a ver demasiados vídeos do Casey Neistat, estou a ver (: )

      Eliminar
  7. Já houve alturas em que criticavam o meu corpo e isso rebaixava-me, hoje, consigo ouvir qualquer tipo de criticas. Sinto-me bem comigo mesma.

    ResponderEliminar
  8. Adorei ler este post e ver o video! As pessoas não têm mesmo noção do que alguns comentários podem fazer! Acho que o mundo seria muito diferente se nos pussesemos mais vezes no lugar do próximo!

    ResponderEliminar
  9. Adorei o vídeo e o que escreveste! Eu acho que uma parte do nosso crescimento é aprendermos a ignorar o que as outras pessoas dizem quando nos querem prejudicar, quando nos querem ver mal, quando nos deitam abaixo. Sei que há pessoas que não conseguem ignorar e ficam arrasadas com comentários maldosos, mas quem devia ficar mal são as pessoas que dizem esses comentários. Se estão mal com a vida delas não arruínem a vida dos outros também...

    MORNING DREAMS

    Sofia Silva, Beijos*

    ResponderEliminar
  10. Não poderia estar mais de acordo contigo um corpo bonito é aquele no qual nos sentimos bem! Não tem ter as medidas xpto! Não conhecia o video e adorei! Um excelente trabalho! Realmente há pessoas (que nem deviam ser chamadas assim) que só estão bem a por os outros para baixo....
    beijinhos
    http://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar