25.3.15

Pessoal | O adeus



Tenho tantas publicações em mente que gostaria de já ter publicado ou de publicar nos próximos dias, mas este mês o tempo e as circunstâncias da vida parecem estar contra mim. Primeiro foi o problema com o meu computador e agora com a mudança o tempo que tinha para escrever neste cantinho que eu tanto gosto e para visitar os vossos cantinhos também eles adoráveis passou a ser ocupado a arrumar e a organizar todas as nossas tralhas no nosso novo lar. 

Estamos a viver no Reino Unido há pouco mais de um ano. Quando aqui chegamos connosco só vieram as roupas de Inverno e algumas coisas que eram por nós consideradas essenciais para nos sentirmos bem na nossa primeira casa. Mais tarde chegaram as caixas que tínhamos enviado de Portugal com as nossas roupas de Verão e todas as nossas outras coisas assim como louças que nos foram sendo oferecidas e outros objectos fofinhos de decoração feitos e/ ou oferecidos com muito amor por pessoas que nos são especiais. Depois começaram as compras disto e daquilo e de repente tínhamos uma casa cheia de coisas. Estamos a viver aqui há pouco mais de um ano e já acumulamos imensa coisa: uma grande parte é mesmo essencial e só uma minoria é que fazem parte daquele grupo de coisas que todos nós temos nas nossas casas não porque as usemos com frequência, mas porque pura e simplesmente gostamos delas. 

Para vos ser sincera não estava de todo preparada para a quantidade de tempo que teria de despender com a mudança. Já lá vão quatro dias desde que a mudança propriamente dita começou e apesar de já termos arrumado uma grande parte ainda existe outra parte que está literalmente ao monte à espera que tenhamos tempo de arruma-la nos respectivos sítios. Fazer mudanças é assim mesmo: dá uma trabalheira do caraças, mas também dá um gozo do caraças ver a nova casa a ficar com a nossa cara e esta nova casa tem tanto a nossa cara. Estou apaixonada por ela e espero não me ver obrigada a mudar de casa tão cedo! 

Hoje vamos entregar as chaves da nossa antiga casa que já está imaculadamente limpa e vazia. Tão vazia como no primeiro dia em que abrimos a porta pela primeira vez, pousamos as malas e jantamos massa com carne picada comprada no Tesco enquanto eu chorava porque já tinha saudades do que tinha ficado para trás e achava a casa demasiado silenciosa.  Depois passou e aprendi a lidar com o silêncio e a apreciá-lo. Foi nesta casa que demos o nosso primeiro jantar com os amigos que fomos fazendo, foi nesta casa que comemoramos muitas vitórias e que choramos algumas derrotas, foi nesta casa que chorei a morte da minha avó, mas também foi nesta casa que dei das mais sonoras das minhas gargalhadas. Fomos felizes nesta casa, muito. Foi nesta casa que comemoramos o aniversário dele; foi nesta casa que passamos o nosso primeiro Natal  e passagem de ano juntos na companhia da família dele. Os meus pais apenas conheceram esta casa pelo Skype, mas quero muito que um dia eles ganhem coragem de entrar no avião e que venham visitar-nos e que vejam o fantástico lar que fomos construindo. 

Nota-se muito que estou um bocadinho nostálgica? Bem, penso que seja completamente normal. 

Esta também será a última publicação que irei fazer nesta casa, as próximas serão feitas no nosso novo cantinho. No entanto, mais uma vez terei que me ausentar deste fantástico mundo durante um curto espaço de tempo (espero eu) visto que ainda não tenho acesso à Internet na nova casa e penso que só o terei no máximo dos máximos no final deste mês. 

10 comentários :

  1. Mudar dói mas não mudar dói muito mais.
    Se vai ser bom, segue em frente.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. É sempre dificil deixar um espaço que foi nosso durante algum tempo, mas tenho a certeza que vais viver muitas coisas boas na nova casa.

    ResponderEliminar
  3. confesso que quando vi o título do teu blog pensei que ias abandoná-lo (possivelmente devido às muitas coisas para fazer, sobretudo com a casa nova!). já vi que não é esse o caso e ainda bem. espero que sejam tão felizes no vosso novo sítio!

    ResponderEliminar
  4. As mudanças de casa são sempre nostálgicas.. E irei ter saudades tuas até teres voltares a ter net

    ResponderEliminar
  5. Nunca mudei de casa (pelo menos que me lembre) por isso não conheço essa tua nostalgia. Mas certamente irei sentir isso quando deixar de viver na casa dos meus pais :)
    Vais criar muitas memórias nessa nova casa, vais ver :)

    ResponderEliminar
  6. Adorei este post! Está tão «teu»!!! Desejo-te as maiores felicidades neste novo lar e que as memórias perdurem para sempre!

    ResponderEliminar
  7. É um mar de emoções mudar de casa :) mas tenho a certeza de que novas aventuras vais viver na tua nova casinha e que vão ser memórias que te farão muito feliz :D

    ResponderEliminar
  8. Só mudei de morada uma vez, mas percebo tua nostalgia. :) espero que corra tudo bem com a nova casa!

    ResponderEliminar
  9. Espero que corra tudo como esperado :)

    ResponderEliminar
  10. Já mudei algumas vezes de casa (como estudante) e é incrível a quantidade de coisas que acumulamos: ao início parece que não temos nada e até temos que inventar para encher as prateleiras. Ao fim de uns anos, temos uma "casa montada". E dá cá um trabalho...!! =P
    Mudar tem sempre o seu quê de nostalgia: há sempre boas e más recordações. Mas pensa que agora vais criar novas recordações na nova casa ^^
    *****

    ResponderEliminar